domingo, 10 de maio de 2015

#veganismoporai - Vitória/PE

É a segunda vez que estou fazendo essa postagem e não sei se sairá uma qualidade tão boa quando a outra que eu fiz. Eu e dois outros amigos meus (irei falar detalhes sobre isso depois) estamos mudando um pouco a cara do blog e nessa brincadeira e não sei como a postagem de Vitória que eu tinha feito com tanto amor, carinho e suor (passei umas 3 horas no pc para tentar fazer uma postagem massa), simplesmente SUMIU HAUSHUASHUAHS Não me perguntem como, foi simplesmente abduzido e não sei se irei conseguir tanta inspiração quanto antes para fazer a postagem, mas vamos ver. Nos comentários vocês me dizem se gostaram ou não da postagem. Então, vamos lá...

Minha super e queridíssima amiga (Quênia) me chamou semana passada para dar uma passadinha lá na terrinha dela (Vitória) no feriadão para acamparmos, fazer fogueira, comer marshmeallow  (mitirinha HUAHSUHA não é vegan)... coisas do tipo, mas não sei o por quê, mas simplesmente só queria ficar em casa estudando e assistindo Games Of Thrones (para os fãs, saibam que estou apaixonada pelo anão e que na vida real ele é vegan), mas quando deu quinta-feira deu um alok em mim e decidi ir. Fui no dia seguinte, já estava eu lindamente na rodoviária com minhas bolsas (uma para minhas coisas e outra para minha comida) mais feliz que pinto no lixo. Como eu falei no último post (aqui) dando algumas dicas de que levas para comer em acampamento, no caso, frutas e verduras já que demoram um pouco mais para estragar, e também pelo fato que me recuso de levar industrializados para comer no mato enquanto to tentando o máximo possível ficar ligada a natureza. 

7 maçãs / 6 bananas / granola / castanha-do-pará / castanha de caju / 3 litros de água 

Meu conselho dessa vez é
1° conselho) Sempre levem frutas que tenham uma casca resistente, porque as bananas se espatifaram nas minhas coisas e foi nada legal ver um mingau dentro da bolsa, caso que leve, leve dentro de um pote plástico (isso vale para qualquer fruta que tenha casca frágil)
2° conselho) Leve água suficiente para você e seus amigos, porque água nunca se nega. 

Levei 3 litros de água pensando só em mim imaginando que o resto da galera iria levar suas próprias águas. Erro. Ilusão. Em uma noite a água se foi toda, principalmente para a galera que levou MIOJO para fazer. Obviamente não neguei água, mas no outro dia estávamos desesperados porque estávamos na seca.

O momento engraçado da viagem foi a galera ficar tirando onda com o fato d'eu cuidar tão bem da minha saúde. Não é tão normal assim encontrar uma menina da minha idade andando por ai jantando banana com granola HAUSHUAHS e achei legal a cabeça do povo de não criticar meu veganismo, apenas aceitarem e até dizerem "Eu preciso urgente lembrar que você não come derivados de animal", e essa frase foi incrível de ser escutada por pessoas que conheci em poucas horas. Tive a oportunidade de espalhar mais a ideia do veganismo e poder tirar as dúvidas mais frequente da galera, que não é algo que me chateie. Ter dúvidas faz parte da vida do ser humano. 


No segundo dia do acampamento, eu lindamente acordando bem cedo já que tinha dormido cedo (desde criança durmo de 21/22h e acordo de 5h/6h), eu toda energética querendo muuuuuuuuuuuito ir para a tal cachoeira que me disseram, mas a galera estava na verdade indo dormir. Depois de muita encheção de saco, a galera tomou decisão de arrumar as coisas e ir para a cachoeira. Uma parte da galera foi pra casa eu e o outro resto fomos para a cachoeira. 

Andamos, andamos, andamos, andamos, andamos, andamos, andamos, e andamos mais um pouco, chegamos em um horti-frutti, enchemos nossas garrafas com água de torneira mesmo, compramos mais bananas, abacaxi e maça (e comprei cominho, porque ele estava simplesmente cheiroso demais, trouxe para casa para temperar meus feijões). Depois disso, andamos mais um pouco ao infinito e além, subimos, descemos, andamos no mato e finalmente chegamos ao destino. É simplesmente maravilhoso galera. No começo eu estranhei porque pensei que veria realmente uma cachoeira, mas depois me dei conta de que estávamos no topo dela, que a queda d'água era lá pra baixo, e o local que estávamos era simplesmente perfeito porque onde podíamos entrar na água e era fundo o bastante que nem eu não consegui tocar o chão de flecheira (me certifiquei que não tinha pedras por perto para poder pular dentro da água). Água fria ao ponto de vocês sair batendo os dentes, mas a beleza compensava o frio. Fiquei que nem criança brincando altas horas dentro d´água. 


Depois de passar o dia na cachoeira, decidimos voltar para o local que estávamos alojados para organizar e iremos embora, obviamente antes que escurecesse porque não é nada legal voltar no escuro, porque querendo ou não, o caminho que fizemos é até perigoso. Como era sábado ainda, não queria voltar pra casa, queria aproveitar minha estado em Vitória, então um cara que conheci no dia me  hospedou na casa dele, e cara, mesmo assim minha viagem continuou incrível! Andamos de bike, patins, rodamos a cidade, conheci mais galera, conheci alguns pontos históricos da cidade, mesmo pequenos e humildes eram lindinhos demais! Fechei o fim da minha viagem (domingo) com um belo pôr do sol em um colégio público que fica no topo da cidade.

A passagem de Recife -.Vitória, Vitória - Recife, custa apenas R$6,75. Somando todas as despesas que tive nessa viagem, contando com a comida, água e mais comida que comprei, custou em torno de R$40 (somando com a passagem de ida e volta). Lembrando que não tive que pagar nada na estadia porque fiquei em um sítio privado, mas Vitória é grande pra caramba e tem vários pontos massas (dentro do mato mesmo) que é calmo o suficiente para poder acampar sem problema algum.


E para fechar a postagem com chave de ouro, vou contar a história desse lindo cachorro da foto que encontrei nessa viagem e que nunca mais esquecerei dele.

Galera, esse é Max. Max, essa é a galera. 

No Sábado quando eu estava indo para a cachoeira encontramos um cachorro lindão em um sítio ao lado do qual estávamos. Eu toda abestalhada comecei a brincar loucamente com ele, porque acho que minha animação se compara a de um cachorro (por mais que eu ache que fui ou serei um gato um dia HUAHSUAHUSH). Depois de muito carinho e brincadeira, decidimos continuar o percusso (porque se dependesse de mim eu passaria o dia brincando com ele), mas ai ele foi seguindo a gente mesmo estando do outro lado da cerca, foi seguindo, seguindo, seguindo, até chegar em um ponto que ele faz a mágica de sair da casa do dono dele e chegar em mim todo feliz querendo brincar mais. Cara... eu fiquei tão emocionada nesse momento! Ele ficou me seguindo <3 ele queria ficar perto de mim. Achei muito fofo isso que nem palavras podem definir o tamanho da fofura de Max. Eu não me importei de continuar andando enquanto ele nos seguisse, mas a galera ficou colocando peso na minha consciência que um certo momento tive que me despedir dele, mas no momento de despedida ele subiu em mim e fez uma carinha feliz, olhando pra mim, foi dai que pegaram a minha máquina e registraram esse momento ultra mega blaster fofo! Depois de muito "chororo" (porque eu queria levar ele com a gente, mas depois de conhecer o percusso era melhor mesmo ele ter ficado em casa), nos despedimos, fui pra cachoeira e ele foi pra casa. Mais tarde quando voltamos ele apareceu do nada cheirando meu cabelo (eu estava Morta feat Desmaiada de cansaço então estava deitava no chão do sítio) HUAHSUAHS

Adoro viagens por causa disso, conhecer novas pessoas, conhecer novos lugares, novas vistas, novas comidas, novos animais inclusive. Depois da minha postagem sobre Bonito, muita gente disse que não viaja por falta de tempo, por falta de dinheiro, por falta disso e aquilo. Eu não sou Deus, eu não sou a verdade, sou apenas uma menina nova que ainda está descobrindo coisas da vida, mas devo lembrar para todos que a vida é muito curta para se viver dentro do comodismo de uma casa. Se queres viajar, então vá velho, vá na fé, não fique esperando que a sua vida tenha mais graça assim do nada. Ela só irá mudar se VOCÊ fizer algo. Ta cheio de trabalho? Está sem tempo? Pare e pense bem: sua vida vale a pena ficar trabalhando a maior parte dela só para ter rios de dinheiro para gastar com bens materiais? Priorize seus objetivos, saiba organizar. Eu não posso dizer que viajar é fácil e que todos podem, poder tudo é feito por decisões, mas cabe a você querer tomar uma ou não, para que as coisas mudem. E outra coisa que quero lembrar a todos (já que muitos também se queixaram disso): NUNCA é tarde para conhecer o mundo, mesmo que seja ali do lado, já é um passo. Como diz Los Hermanos "Sair de casa já é se aventurar.". Meu único conselho é ARRISQUE-SE. Eu acredito que você tenha muita conta pra pagar, família para cuidar, mas pra tudo tem remédio, e não falo isso porque eu acho que é possível, mas isso é possível porque eu mesma conheço pessoas que já estiveram nessa situação. Como eu já disse é só uma questão de priorização.

Espero que vocês tenham gostado desse post, e me desculpem pela demora pra postar. A faculdade e o trabalho andam pegando uma boa parte do meu tempo :)

Postar um comentário