quarta-feira, 6 de maio de 2015

#veganismoporai - Bonito/PE

Meu momento de viajando só está começando, então saibam que sou leiga no assunto quando é viagem. Sou menina criada em apartamento, conheci já uma boa parte da Europa, mas tudo na cola dos pais, dormindo em hotéis, raramente eu acampava e se acampava, acampava com eles (porque era óbvio, eu tinha menoridade), mas quando voltamos aqui para o Brasil essa minha vida de aventureira diminuiu bastante porque eles não tinham mais tempo para viajar com a família por causa do trabalho e etc, mas eu não queria deixar de viajar porque eles deixaram também, mas o grande porém é que não quero mais "ficar no conforto". Quero ficar com mais contato ao ao livre, sem gastar muito dinheiro e ainda sem dizer da adrenalina por acampar, acho o máximo essa ideia. Depois de muito tempo sem acampar, acabei acampando esse feriadão com um amigo meu, em uma cidade chamada Bonito que se localiza no interior de Pernambuco. É uma cidade onde é muito conhecida por aqui pela suas belas cachoeiras, então foi lá que decidi me aventurar um pouco. 

Local onde dormimos (Camping do Mágico) 
Infelizmente só pude ficar dois dias, por falta de tempo mesmo, mas arranjei um e fui (mesmo sabendo que tinha mil coisas para resolver). Fui de carro com esse meu amigo, saímos de Recife direto pra Bonito, na ida e na volta, pagamos mais ou menos R$60 de gasolina, mas gastamos só um pouco mais da metade. Indo para o alto de Bonito para poder acampar, estávamos um pouco perdidos em achar o camping que queríamos nos hospedar, o Camping do Mágico, mas usamos e o velho ditado "Quem tem boca vai a Roma.", encontramos pessoas muito fofas e atenciosas para nos explicar o caminho depois de se perder um bocado. Ao chegar ao camping, pagamos R$60 (30+30) de diária antecipadamente sem café da manhã. Eu decidi não pagar café da manhã pelo simples fato de saber que com toda certeza o café da manhã iria vim 70% com coisas que eu não gostaria de comer (derivado de animal) por ser uma cidade de interior, a probabilidade de terem algo vegano são mínimas e também pelo fato de ter já levado o que comer para gastar menos dinheiro. 

Na parte de levar comida, eu levei almoço para mim e ele, coisa simples porque não tive muito tempo para fazer algo phyno. Feijão branco, arroz integral e chia, para o outro dia, macarrão ao molho branco com bastante cebola refolgada. Levei também bastante tapioca de coco com chia, banana, maçã, 700ml de suco de laranja natural e várias castanhas (pistaches, castanha-do-pará, castanha-de-cajú e amêndoa). Meu conselho por experiência própria, se for levar alguma comida preparada que tenha levado tempero (que tem mais tendência à azedar) leve juntamente dentro de uma lancheira, alguma coisa do tipo, para manter a comida intacta. Caso contrário, aconselho levar mais comida natural que não estrague muito fácil (frutas e verduras) e leve outras coisas para acompanhar (bolo, tapioca, inhame, macaxeira, variações de castanhas), coisas que por mais que sejam preparadas, que você saiba que não irá estragar cedo. Sempre lembrando que a comida deve ficar em um local que tenha uma temperatura constante, porque não adianta levar na lancheira e deixar a lancheira dentro da barraca quando ela estiver debaixo de um sol de meio dia. Assim não rola. 

Acesso ao outro camping (assassino do meu dedão)
O local que ficamos é maravilhoso, um silêncio total. Dormimos ao lado de uma cachoeira e toda vez que eu me acordava de noite eu pensava que tava chovendo HUAHSUAHS. O legal do Camping do Mágico é o acesso que ele dá para as outras cachoeiras. Muito pertinho, alguns você pode ir a pé (o mais perto fica menos de 2 km) e não é muito carinho, não mais de R$5. No começo achei injusto gastar "esse dinheiro todo" para poder ver uma cachoeira, mas depois parei para pensar que era preciso para os donos dos locais poderem manter, porque né... todo mundo precisa pagar seu pão de alguma forma e também manter o local sem vandalismo. Fomos na segunda, chegamos, montamos a barraca, meditei, brinquei que só nas pedras, subi em árvores, escalei alguns morrinhos. Na terça, que foi o feriado, LOTOU o local, comecei a ficar incomodada porque tinha criança gritando, pessoas escutando som, TVs (!!!!!!!!) ligadas (dentro de um restaurante que fica dentro do camping), cara... O meu sossego acabou, mas tentei não desanimar. Subi em uma pedra até altinha, me foquei no sol, fui me bronzear, mas a vontade de andar era maior. Chamei o meu amigo para irmos para outra cachoeira que o camping dá acesso, então fomos, de lá eu cortei meu pé direito, mas mesmo assim fui na fé descalça (me recusava em usar sandália por causa de um simples corte), ao chegar no outro camping, cara... LOTADO também e bem pior. mesmo assim entrei dentro d'água, fui brincar um pouco até um belo momento eu escorreguei e cortei feio o meu dedão esquerdo e pelo fato de ter sido na pedra (tétano) comecei a morgar um pouco HUASHUAHS eu tenho vacina em dia, mas mesmo assim é possível ainda pegar (eu tenho vacina contra catapora e mesmo assim eu peguei, e dai? HAUHSUAHS a sorte não anda muito comigo não). Voltamos para o nosso camping e ficamos de boas lá, decidi me aquietar e ficar de boinha me bronzeando (sou branca de cegar qualquer um). 

Clique na foto para ver detalhadamente
Depois de algum tempo agoniada (de novo) por querer de qualquer jeito sair para andar, passear, fazer alguma coisa. Sou de gêmeos, isso diz muita coisa sobre mim (não me julguem, eu acredito nisso, HUAHSUAHS cada um com sua crença). Então implorei para meu amigo a gente sair fazer já alguma coisa, arrumamos nossas bolsas, desfazemos nossa barraca e foto para a Cachoeira Paraíso, mas ao chegar lá, tinha quase uns 20 carros lá e não é brincadeira, então abortamos a missão e decidimos ir pra casa (Obs.: quando vou para mata eu vou para aproveitar a solidão e não ficar no meio de tumultuo onde pessoas não respeitam o silêncio do local). A volta foi de boa, foi mais rápido já que sabíamos do caminho (porque a ida só tinha a gente e o mapa pra se virar).

A parte mais legal da viagem (tirando a parte eu nadando na cachoeira) foi ter encontrado pessoas de bom coração sem ao menos lhe conhecer. Na volta a gente estava totalmente esgotados de água e estávamos morrendo de sede, encontramos uma plaquinha "Vende-se água" em uma casinha lá no centro de Bonito, paramos o carro e fui lá para comprar, mas na hora descobri que era água de 20L, dai a sede não era tanta para comprar o botijão não HUAHSUAHS tinha duas senhoras e um moço, o moço foi muito gentil, perguntou se eu queria água da geladeira deles (nesse momento quase chorei de felicidade), aceitei e deram para mim e meu amigo, ainda pediram nossas garrafas para encher (e nesse momento o que enchei foram meus olhos de lágrimas de felicidade). Conversei um pouco com as senhoras que foram super fofas e comecei a observar o local, achei duas casinhas muito fofas na frente e acabei tirando foto. Só reparem no contraste das cores. Amo contraste <3



Conclusão: A viagem foi maravilhosa por mais curta que seja. Aconselho à todos fazerem isso, quando tiverem oportunidade de viajar, viagem sem medo, mesmo que seja perto da sua casa, mas só viaje! Lhe garanto que irá encontrar coisas muito maravilhosas e mais legal do que a tela do seu computador ou de uma TV. No total gastamos R$150 para os dois. Tínhamos a opção de não acampar em um acampamento, mas acampar em outro lugar que não tivesse ninguém, só mato, mas por segurança a gente preferiu ainda acampar com a galera, mas o próximo passo é acampar só no mato mesmo. Onde? Não sei, to vendo ainda. Opções por ai?
Conheci pessoas maravilhosas, divulguei meu veganismo por ai (que se tornou TAG agora) e o que ajudou bastante foi a minha tatuagem porque sempre tem uma mente curiosa para saber minha opinião pela minha opção alimentícia. Voltarei quando puder, mas a sede de viagem já está pedindo algum lugar novo. Recomendo à todos irem se puderem :)

Achei maravilhoso a camuflagem, nem sei como eu consegui ver porque tirei essa foto no zoom bem potente 

Alguém por ai tem algum relato de viagem para me contar? :3 

Postar um comentário